Combater o populismo, o racismo e a xenofobia

O Partido da Terra (MPT) e o seu candidato ao Parlamento europeu nas eleições do próximo dia 25 de Maio, António Marinho e Pinto, manifestam a sua profunda preocupação com o resultado do referendo realizado no último domingo na Suíça.

Essa consulta saldou-se na aprovação de uma proposta apresentada por um partido de extrema-direita, o Partido do Povo Suíço, estabelecendo quotas para os cidadãos da União Europeia que pretendam entrar naquele país.

As consequências mais imediatas traduzir-se-ão na inutilização de um acordo com a União Europeia sobre a livre circulação de cidadãos europeus, incluindo portugueses, que deixarão de poder entrar livremente naquele país e, eventualmente, levar à expulsão daqueles que aí residam há vários anos e não tenham a sua situação regularizada.

O MPT e o seu candidato ao Parlamento Europeu, António Marinho e Pinto, consideram que o resultado desse referendo consubstancia um significativo avanço da extrema direita na Suíça e que o mesmo não constitui um fenómeno isolado antes se insere na generalizada ascensão do populismo e das ideologias racistas e xenófobas na Europa, nomeadamente na França e em países do leste europeu, como consequência directa da ambiguidade política do Partido Popular Europeu e das hesitações e incumprimentos das promessas políticas por parte dos partidos socialistas e sociais democratas da Europa.

É, pois, imperioso rejeitar essas políticas, bem como as ambiguidades e incumprimento de promessas eleitorais que lhe andam associadas, não votando nesses partidos nas eleições do próximo dia 25 de Maio.

Lisboa, 10 de Fevereiro de 2014

O Partido da Terra (MPT)

António Marinho e Pinto

(candidato a deputado ao Parlamento Europeu)